Um dia Complicado

Ora vamos lá ver se hoje consigo… ando há mais de duas luas a tentar encontrar maneira de lá entrar e sinto que hoje é que é. Esta noite foi bem cansativa… mais cansativa que produtiva! O estômago reclama, o que é sempre mau sinal, e dou uma dentada ao último naco que aqui tenho e até para mim, que sou um verdadeiro apreciador, o bolor já está tão roxo que me faz estremecer.

Mas vamos a isto que se faz tarde! Tenho de subir mais de dois lances de escada antes de lá chegar e o movimento dos grandes não tarda a começar.

Ora de baixo não se ouve nada… de cima… nadita… Um degrau, dois, cinco… Ui, vem lá um!

Não me viu! Até podia jurar que tinha os olhos fechados! Outro? Tenho de sair da escada! Agora! Ena, grandes obras! Já não vinha aqui há muitas luas! Vedaram-me o acesso, egoístas… Mas uau! Que grande quadro novo na parede. Bom gosto! E na cozinha? Que surpresas me reservaram? Parece que só uma grande anda a pé… e até agora ainda não me topou… e acabou de sair do meu caminho. Tenho de ser rápido! Eh lá… escorrega mesmo! Até o chão é novo! Mas o pequeno dos grandes contínua por cá, disso tenho a certeza… olha os brinquedos barulhentos espalhados! Em cima do balcão vejo que há motivos mais que suficientes para uma nova expedição. Só que não hoje… Nah… Hoje o objetivo está dois andares acima.

Aproveito o regresso da grande para me esgueirar para a escada de novo.

Mais um lance… Porta encostada? Oh pá! Isto é terrível para alguém tão curioso como eu… Nem um grande à vista… mais uns passitos…   bem! Ainda são piores do que eu… que desarrumação!  E o chão está molhado? Vem aqui desta lata tombada… Uhmm, sabe bem, mais um pouquito… já agora vai tudo! Olha está ali um grande! Mas está deitado!  Vou-me pirar antes que me veja.

O terceiro lance está mais alto hoje! Sinto-me tonto! Não devia ter bebido aquela porcaria (será que ainda lá estará quando descer?)!  

Lá está ela! Espetáculo! Mas cheira-me a algo estranho… que será? Empurro o ultimo obstáculo e entro… Que escuro… o cheiro está mais forte… sinto-me tonto… que será isto?  Isto não me parece bem… Parou, PAROU! Está uma grande deitada no corredor! Ai que estou mesmo tonto… e se me deitasse só um bocadinho? Só mesmo  um pouquinho…  aqui em cima deste telemóvel… deixa-me só aconchegar aqui nas teclas… tantos apitos caramba… não percebem que quero dormir? – “Estou? Paula? Tás ai? Estou?"

Pernas para que te quero! Voz de grande ali mesmo! Só paro no telhado com o coração aos saltos!  Depois não percebi bem, mas os grandes juntaram-se, muitos, com máquinas e sirenes, e barulho e gritos! Qualquer coisa dela ter sido descoberta mesmo a tempo… Que se não fosse o telefonema já não estaria ali… Não percebi! Que dia complicado… Será que a lata do 2º ainda lá está?